quarta-feira, 21 de março de 2018

Bebeto de Freitas, Craque do Voleibol Botafoguense

pesquisa de Claudio Falcão

Bebeto em 1969

Paulo Roberto de Freitas, o Bebeto, um dos grandes nomes do voleibol botafoguense, que atuava na posição de levantador, nasceu no Rio de Janeiro (RJ) a 16 de janeiro de 1950, tendo falecido em Vespasiano (MG) a 13 de março de 2018.

Foi professor de Educação Física, tendo sido jogador e treinador de voleibol, com reconhecido sucesso em ambas as atividades, bem como presidente do Botafogo F.R. por dois mandatos em sequência (2003-2005 e 2006-2008).

Era filho de Nephtaly de Freitas Filho (primo do notável atacante do Glorioso e da seleção brasileira, Heleno de Freitas) e de Maria (Jobim) Saldanha de Freitas (irmã do jornalista e comentarista esportivo João Saldanha).

Bebeto também era primo de Helenize Henriques de Freitas, a ‘Belê’, atleta da seleção brasileira de voleibol nas décadas de 1960 e 1970.

Títulos oficiais de Bebeto pelo Botafogo, onde atuou até 1976:

I) Como jogador: Campeonato Sul-Americano – 2 vezes (1971-1972), Campeonato Brasileiro – 1 vez (1976), Troféu Brasil – 3 vezes (1971-1972 e 1975), Campeonato Carioca – nove vezes consecutivas (1967-1968-1969-1970-1971-1972-1973-1974-1975), Taça Guanabara – 2 vezes (1973-1974) e Torneio de Apresentação do Campeonato Carioca – 1 vez (1974).

II) Como técnico: Campeonato Carioca Infantil Masculino – 1 vez (1975).

Bebeto ainda foi distinguido com a láurea de emérito pelo Botafogo F.R., o clube do seu coração, em 1970.

E representando as cores do Alvinegro carioca no selecionado nacional, foi atleta olímpico (Munique – 1972 e Montreal – 1976), tendo também participado dos Jogos Pan-Americanos de Cali (1971) e da Cidade do México (1975).

Aqui fica a homenagem do DataFogo a Bebeto de Freitas, um dos membros, na nossa opinião, de um fabuloso quarteto do voleibol botafoguense, constituído ainda por tão formidáveis atletas como Quaresma, Mário Dunlop e Suíço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário