quarta-feira, 13 de março de 2019

Ataque Campeão Carioca de 1948

pesquisa de Pedro Varanda

Da esquerda para a direita: Paraguaio, Geninho, Pirillo, Octavio e Braguinha
(imagem: Jornal dos Sports)

Paraguaio, Geninho, Pirillo, Octavio e Braguinha, linha atacante campeã carioca de 1948 pelo Botafogo, naquele ano atuaram juntos em 19 dos 20 jogos da competição.

E no período de 1948 a 1952, formaram em conjunto no ataque do Glorioso em 37 partidas, conquistando 28 vitórias e 5 empates, sofrendo apenas 4 derrotas. Nesses jogos, Octavio marcou 45 gols; Pirillo, 21; Paraguaio e Braguinha, 16 (cada) e Geninho, 6.

Ressaltamos que em 1950 houve dois amistosos, disputados no exterior, em que não se localizaram as escalações.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Quando o Botafogo F. R. estreou a Camisa da Estrela Solitária

pesquisa de Claudio Falcão e Roberto Nahal; texto: Claudio Falcão

Como sabemos, o dia 8 de dezembro de 1942 marcou a fusão dos Botafogos de Futebol (“O Glorioso”) e de Regatas (“O Clube da Estrela Solitária”).

Os três primeiros jogos de futebol da equipe principal do ‘novo’ Botafogo de Futebol e Regatas ocorreram numa excursão a Belo Horizonte no início de 1943:

31/01 – Botafogo 5 x 1 América (MG); 03/02 – Botafogo 3 x 2 Atlético (MG) e 07/02 – Botafogo 1 x 3 Atlético (MG).

Porém nessas partidas o Alvinegro carioca ainda atuou com as camisas do ‘antigo’ Botafogo Football Club, como pode ser constatado pelas imagens adiante.

Lance de Botafogo x América (MG)
(Jornal dos Sports, 07/02/1943)

Fase do jogo Botafogo x Atlético (MG) (07/02)
(A Noite, 11/02/1943)



Imagens do jogo Botafogo x Atlético (MG) (07/02)
(Diário da Noite, 10, 11 e 12/02/1943)

Pois foi somente pelo extinto Torneio Relâmpago, no nosso primeiro jogo oficial da temporada de 1943, disputado a 14 de março no estádio da Gávea, Botafogo 1 x 2 Vasco da Gama, é que o ‘novo’ Botafogo de Futebol e Regatas estreou com o escudo da Estrela Solitária nas camisas dos seus atletas do futebol profissional, sendo o gol do Glorioso marcado por Heleno de Freitas.

Formação do Botafogo estreando a camisa da Estrela Solitária;
agachados, da esquerda para a direita: Lula, González,
Heleno de Freitas, Geninho e Patesko
(Jornal dos Sports, 16/03/1943)

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Os Troféus do Botafogo em Caracas – 1968

pesquisa de Claudio Falcão

O Botafogo disputou em Caracas (VEN) duas partidas amistosas em 1968, ambas valendo taças.

Na primeira, a 24 de agosto, derrotou por 1 a 0 ninguém menos do que a seleção principal da Argentina, gol de Jairzinho, conquistando a Taça Júlio Bustamante.

Na segunda, a 27 de agosto, venceu por 2 a 0 a qualificada equipe do Benfica (POR), marcando Lula e Roberto, fazendo jus à Taça Ildemário Ramos.

Fato estranho marcou a entrega do troféu pela vitória sobre a Argentina, nos fazendo recorrer à badalada expressão de que “há coisas que só acontecem ao Botafogo”, pois a taça original simplesmente foi extraviada, sendo entregue ao Glorioso um troféu em substituição, a Taça Júlio Bustamante. Bonito troféu, sem dúvida, porém menos rico e artisticamente inferior, nos dizeres do chefe da delegação alvinegra.

Vejam adiante algumas notícias acerca do ocorrido, bem como as imagens dos troféus trazidos pelo Clube, que nos pareceram bastante semelhantes.

(Jornal dos Sports, 27/08/1968)


(Jornal dos Sports, 30/08/1968)

(Diário de Notícias, 30/08/1968)

(Jornal do Brasil, 31/08/1968)

(Diário de Notícias, 30/08/1968)

(Jornal do Brasil, 30/08/1968)

(Jornal dos Sports, 30/08/1968)

(O Globo, 30/08/1968)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Botafogo venceu o Defensa y Justicia e segue na Sul-Americana

por Claudio Falcão


Na noite desta quarta-feira o Botafogo conquistou uma sólida vitória por 3 a 0 sobre o Defensa y Justicia (ARG), atualmente colíder do campeonato argentino, no campo deste, e carimbou a sua classificação para a próxima fase da Copa Sul-Americana.

Todos os gols foram assinalados na segunda etapa, os dois primeiros através de Erik, sendo o segundo em cobrança de penalidade máxima sofrida por Rodrigo Pimpão, e o terceiro, marcado por Alex Santana, constituiu-se numa verdadeira pintura, através de um arremate de grande distância que encobriu o arqueiro adversário.

Devemos ressaltar que após o tento inaugural, o Glorioso teve o seu lateral Marcinho expulso por jogada violenta, ou seja, assinalou dois gols com menos um atleta em campo.

O próximo adversário do Alvinegro na competição ainda será conhecido por sorteio.

(Foto: Javier Gonzalez Toledo / AFP)

Ficha Técnica:

BOTAFOGO F.R. 3 x 0 C.S.D. DEFENSA Y JUSTICIA (ARG)
Data: 20/02/2019
Local: Estádio Norberto ‘Tito’ Tomaghello, Florencio Varela (província de Buenos Aires)
Arbitragem: Diego Haro (PER), auxiliado por Jonny Bossio e Jesus Sánchez
Renda / Público: não divulgados
Gols: Erik (2), aos 8’ e aos 29’ (este de pênalti) e Alex Santana, aos 36’ (todos no 2º tempo)
Cartões amarelos: Luiz Fernando, Jean, Gatito Fernández, Marcinho, Kieza e Rodrigo Pimpão (Botafogo); Alexis Castro, Barboza, Tripichio e Fernández (Defensa y Justicia)
Cartão vermelho: Marcinho, aos 23’ (2º tempo)
Botafogo: Gatito Fernández (capitão), Marcinho, Marcelo, Gabriel e Jonathan (Gílson); Jean, Alex Santana e Luiz Fernando (Leo Valencia); Erik, Kieza (Helerson) e Rodrigo Pimpão. Técnico: Zé Ricardo
Defensa y Justicia: Unsain, Tripichio, Barboza, Martínez e Delgado (Fernández); Villarruel (Miranda), Blanco e Alexis Castro; Aliseda, Márquez e Merlini (Rojas). Técnico: Sebastián Andrés Beccacece (nota: à beira do campo estava Nicolás Diez)

[Fontes: https://www.lance.com.br/ e Rede TV.]

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Confrontos Botafogo x Campinense (PB)

pesquisa de Pedro Varanda; texto: Claudio Falcão


No primeiro confronto oficial entre o Botafogo e o Campinense (PB), já que os três anteriores foram em partidas amistosas, as equipes do Alvinegro carioca e do Rubro-Negro paraibano se enfrentaram na noite desta quarta-feira: vitória do Botafogo por 2 a 0, que com este resultado avançou à próxima fase da Copa do Brasil.

Segue o retrospecto das partidas entre o Glorioso e a ‘Raposa Feroz’:

BOTAFOGO F. R. x CAMPINENSE CLUBE (PB)

Total de jogos – 4
Vitórias do Botafogo – 2
Vitória do Campinense – 0
Empates – 2
Gols do Botafogo – 4
Gol do Campinense – 0

Os jogos:

06/05/1962 – Empate 0 a 0 (Amistoso), Plínio Lemos, Campina Grande.
26/06/1973 – Botafogo 2 a 0 (Amistoso), Presidente Vargas, Campina Grande.
08/03/1975 – Empate 0 a 0 (Amistoso), Ernâni Sátyro, Campina Grande.
13/02/2019 – Botafogo 2 a 0 (Copa do Brasil), Ernâni Sátyro, Campina Grande.

CAMPINENSE 0 x 0 BOTAFOGO
Data: 06/05/1962
Local: Plínio Lemos, Campina Grande
Árbitro: José Justino
Competição: Amistoso
Campinense: Augusto, Braga e Nélson; Ibiapino, Preta e Massangana; Zezinho, Martinho, Tonho Zeca, Araponga e Zé Luís. Técnico: Astrogildo Nery
Botafogo: Manga, Luciano, Zé Maria, Nagel e Paulistinha; Ayrton e Édison (Pampolini); Luiz Carlos França, Amoroso, China (Domingos) e Sidney (Mainha). Técnico: Marinho Rodrigues
Fontes: Boletim do BFR e O Norte

CAMPINENSE 0 x 2 BOTAFOGO
Data: 26/06/1973
Local: Presidente Vargas, Campina Grande
Árbitro: Evanílson Meneses
Competição: Amistoso
Gols: Fischer, aos 6’ e Ferretti, aos 18’ (ambos no 2° tempo)
Campinense: Aílton, Edvaldo, Ivan Lopes, Deca e Agra; Vavá e Dão; Erasmo, Tinga, Pedrinho e Valmir. Técnico: ?
Botafogo: Cao (Nei), Miranda, Scala, Osmar e Waltencir; Russo, Nei Conceição e Careca; Zequinha (Roberto Carlos), Fischer e Ferretti (Nílson Dias). Técnico: Sebastião Leônidas
Fonte: Diário de Notícias

CAMPINENSE 0 x 0 BOTAFOGO
Data: 08/03/1975
Local: Ernâni Sátyro, Campina Grande
Renda: Cr$ 129.786,00
Público: 22.214
Árbitro: Jarbas Ferreira
Competição: Amistoso
Campinense: Olinto, Edvaldo, Paulinho, Nanã Reis (Deca) e Agra; Vavá, Dão e Valmir; Porto (Jorge Flávio), Erasmo (Carlinhos) e Pedrinho. Técnico: José Lima
Botafogo: Wendell, Miranda, Mauro Cruz (Chiquinho Pastor), Osmar e Dodô (Tiquinho); Carbone, Marcos Aurélio (Rogério Pereira) e Ademir Vicente; Cremílson, Puruca (Fischer) e Nílson Dias (Ferretti). Técnico: Zagallo
Obs.: 1) Rogério Hetmanek (ponta-direita, bicampeão de 1967-1968) estava sem contrato com o Botafogo F.R., e por isso não atuou; 2) Inauguração do estádio; 3) Segundo o ‘DN’, Zeca ao invés de Deca
Fontes: Diário de Notícias, Jornal dos Sports e O Globo

CAMPINENSE 0 x 2 BOTAFOGO
Data: 13/02/2019
Local: Ernâni Sátyro, Campina Grande
Arbitragem: Rodrigo d’Alonso Ferreira, auxiliado por Alex dos Santos e Henrique Neu Ribeiro
Competição: Copa do Brasil
Gols: Rodrigo Pimpão, aos 32’ (1º tempo) e Alex Santana, aos 8’ (2º tempo)
Cartões amarelos: Marcinho, Joel Carli, Jean e Alan Santos (Botafogo); Lopeu, Henrique Mattos e João Vítor (Campinense)
Campinense: Wagner Coradin, Neílson, Henrique Mattos, Richardson e João Victor; Cléber, Romeu (João Vítor), Gustavo (Dênis) e João Paulo; Warlei e Lopeu (Cleiton). Técnico: Francisco Diá
Botafogo: Gatito Fernández, Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Jonathan; Jean (Alan Santos), Alex Santana e Luiz Fernando; Erik, Kieza (João Paulo) e Rodrigo Pimpão (Leandro Carvalho). Técnico: Zé Ricardo