quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Botafogo também é Campeão no Quesito Beleza

pesquisa de Claudio Falcão

De cima para baixo e da esquerda para a direita:
Olga, Vânia, Maria Raquel, Adalgisa e Gina

Concurso de beleza definitivamente não pode ser considerado como uma modalidade esportiva, o que, no entanto, não deve impedir o torcedor botafoguense de orgulhar-se dos cinco ‘títulos brasileiros’ já conquistados pelo Glorioso nesse quesito.

Foram cinco as misses que alcançaram o título de Miss Brasil, como representantes do Botafogo:

Olga Bergamini de Sá (1929), Vânia Pinto (1938), Adalgisa Colombo (1958), Gina MacPherson (1960) e Maria Raquel de Andrade (1965).


Anteriormente, a carioca Adalgisa Colombo (foto acima) vencera o concurso de miss do antigo Distrito Federal, no Maracanãzinho, a 14 de junho de 1958, com seus 1,69m de altura e 56kg. E a 25 de julho do mesmo ano, em Long Beach (USA), classificou-se em segundo lugar no certame de Miss Universo. Gina MacPherson, com 1,70m de altura e 57kg (1960) e Maria Raquel de Andrade (foto abaixo), com 1,70m de altura (1965), outrossim, haviam vencido o concurso de miss do então Estado da Guanabara, sendo que Gina foi a primeira a ostentar esse título, visto que o referido Estado foi criado naquele ano, com a transferência da capital federal para Brasília.

Maria Raquel de Andrade
com a faixa de Miss Botafogo F.R.

Tivemos ainda outras quatro candidatas vitoriosas no certame de Miss Guanabara, que no entanto não lograram triunfar na competição nacional.

E ainda a primeira jovem a ser eleita Senhorita Rio, Andréa Bello, conquistou o título defendendo as cores alvinegras.

Todas elas constituem-se em exemplos de beleza da mulher botafoguense, carioca e brasileira.

[Fontes: Revista Botafogo nº 140, de julho/1958; nº 141, de agosto/1958; nº ?, de outubro/1965 e nº 220, de novembro/1969.]

2 comentários:

  1. Falcão, ótima reportagem sobre as beldades botafoguenses. O assunto é diferente mas discordo quando você diz que mulheres ou concursos de misses não são esporte. Futebol e mulher não andam separados, gostamos de todos/todas, desde que bonitos excemplares como são os casos amostrados. Abraços, Eduardo.

    ResponderExcluir
  2. Eduardo, depende do ponto de vista (rsrsrs)...

    Grande abraço e saudações esportivas!

    ResponderExcluir